[Resenha] Cidades de Papel

17:41

Título: Cidades de Papel
Autor: John Green
Editora: Intrínseca

Sinopse:

"Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que em um cinco de maio que poderia ter sido outro dia qualquer, ela invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. 
Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola e então descobre que o paradeiro da sempre enigmática Margo é agora um mistério. No entanto, ele logo encontra pistas e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele achava que conhecia."



Oi, pessoal! Tudo bom?

Preciso confessar uma coisinha para vocês: Custei para ler esse livro, eim. Não sei explicar o por que. Acho que foi porque algumas partes me deixaram meio entediada, e outras me fizeram engrenar na leitura. Mas no todo, o livro me surpreendeu mais do que eu esperava.


Então, o livro é narrado em 1ª pessoa, pelo personagem principal, Quentin Jacobsen, conhecido por seus amigos como Q. Quentin, desde pequeno, sempre foi apaixonado por sua vizinha e amiga, Margo Roth Spiegelman. Quando eram crianças, os dois presenciaram uma cena muito forte, e que de certa forma, marcou a vida dos dois. Essa cena, faz com que o leitor, já saiba assim de cara a personalidade desses dois personagens. Margo quer saber o que aconteceu, chega perto e tal, investiga, demonstra ser uma personagem curiosa, esperta e aventureira, já o Q, quer sair daquele ambiente, fica assustado. Sua atitude é semelhante a de qualquer outra criança.

- Talvez todos os fios dentro dele tenham se arrebentado - Respondeu ela.

Com o passar do tempo, essa amizade dos dois acabou esfriando. Eles cresceram, se tornaram adolescentes, diferentes um do outro, e cada um formou um grupo diferente de amigos, Q, andava com dois nerds, seus melhores amigos, e Margo, se tornou uma adolescente linda, e super popular. Até que um dia, Margo apareceu no meio da madrugada, no quarto de Quentin, pedindo sua ajuda para se vingar de algumas pessoas. Seu plano de vingança foi dividido em 11 partes, e todas precisavam ser completadas antes do amanhecer, para que ninguém desconfiasse. Q, estava morrendo de medo, mas mesmo assim aceitou ir com sua amada nessa louca aventura.


Logo depois que essa aventura termina, e o dia amanhece, quando eles se despedem, Margo fala de um jeito como se Q nunca mais fosse vê-la. Ele não levou muito a sério o jeito como ela falou, até porque no fundo ele tinha a esperança de que tudo voltasse a ser como era quando eles eram crianças, pelo menos depois de tudo oque eles passaram naquelas poucas horas.

Quentin só se dá conta de que ela realmente estava falando a verdade, quando ele vai para a escola e ela não aparece. No primeiro dia, ele até achou normal, porque ela tinha o habito de faltar. Mas quando se passaram 2, 3 dias, o cenário mudou. Margo realmente havia sumido. Por mais tempo que o normal.

Como uma jovem aventureira, Margo tinha mania de sumir, e deixava pistas sobre seu paradeiro. Pistas que segundo os pais dela, não levavam a lugar nenhum. Eis então, que Quentin, resolve seguir as pistas de Margo para tentar encontrá-la.

Margo sempre adorou um mistério. Nunca consegui deixar de pensar que ela talvez gostasse tanto de mistérios que acabou se tornando um.

O livro é todo voltado para Margo, sobre como ela é, no ponto de vista de Q, como ele a idealiza, já que ele é o narrador.


É uma história muito interessante, e cheia de lições de moral nas entrelinhas. Depois dessa leitura, aposto que muita gente passou a analisar as pessoas, até mesmo a própria vida de outra maneira.

Então pessoal, espero que tenham gostado. Até a próxima resenha.
Beijo beijo ;*

Você pode gostar também

0 comentários

Quero ler

Estou lendo